Arquivo da categoria: Data de Groove

Tanja P., Cindy C. e Hans H.

As indefesas donzelas do eixo germano-austríaco passaram décadas sendo aterrorizadas pelo ‘Hahn im Korb’ de Viena. Os ataques do Cupido teutônico eram sistemáticos, fulminantes e muito, muito, muito comuns. Apesar de portar o nome de um falcão, Falco era um galinhão. Suas proezas amorosas dão um bom caldo (de galinha?) pra posts, vide o tórrido affair com Briggite Nielsen, que em breve será abordado aqui. Por hora, eis outro caso clássico do moço.

Em 1990, Falco voltou a se reunir com Robert Ponger, o produtor de seus dois primeiros discos, e lançou seu álbum mais estranho (a começar pelo título), ‘Data de Groove’.  Em meio a canções putz-putz dignas de uma festa organizada por David Lynch (?) e curiosas justaposições entre as palavras ‘Anaconda’ e ‘amour‘, há uma bela ‘homenagem’ à Cindy Crawford e Tatjana Patitz, duas das poucas supermodelos mundiais. Trata-se de “Tanja P. nicht Cindy C.”. Vê-se que, realmente, Data de Groove é uma produção bastante eclética. Era tão avant garde lá nos idos novetentistas que nem os austríacos, defensores eternos e ferrenhos do Falcão, entenderam o espírito da coisa. ‘Data’  foi der größte Flop de todos os tempos do Herr Hölzel, ocupando o cume da herética 11ª colocação nas paradas da Áustria (Mein Gott!) e não aparecendo na lista dos mais vendidos nem na Alemanha. Por motivos extremamente obscuros, foi também tanto o comeback quanto o goodbye da parceria Falco-Ponger. E, assim como todo álbum rui…’alternativo’, hoje é considerado ‘cult’. Um Prost! ao eufemismo!

Prost!

A letra da canção está na página ‘Liedtext’ do Seite (gehe!). O importante aqui são as duas beldades mencionadas na música. Cindy o mundo inteiro e mais um pouco conhece e já viu até pelo avesso. Tanja, ou facilitadamente ‘Tatiana’, Patitz foi mais famosa durante as décadas de 80 e 90, mas continua uma deusa germânica até hoje (sim, ela é alemã), equiparando-se com sua colega de profissão e pátria Claudia Schiffer tanto em donaire quanto em fama. Apesar da Liedtext ser tão nußig quanto o álbum em si, fica clara a tentativa nada sutil de zubeißen mais uma vítima para o rol das garotas falcolinas por parte do cantor, o qual dá, musicalmente, um chega pra lá na Cindy C. (du liebe Güte!), louvando, em contrapartida, a Tanja P. Se Falco conseguiu botar as mãos nos “Patitz” da Tanja é um dos grandes mistérios da vida do cantor. A tentativa pública, porém, é uma aula de Herr Juanismo moderno para todos nós.

Falando das modelos, ei-las logo abaixo, em seu heyday e atualmente, em um ensaio sem maquiagem que a revista ‘Harper´s Bazaar’ publicou ano passado. Atente para a Speichel no teclado.

Hallotag:

Cindy C. und Tanja P.

Aber heute…:

As duas heute

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Alben, Biographie, Data de Groove